Mau Mau Maria 

Fim de semana de sol, ideal para dar uma escapadinha. Descanso, relax, refeições tomadas com calma e vista para o mar. O dolce far niente tão perto.

Juro que quando saí de casa ontem antes do jantar era nisto que estava a pensar.

Quase a chegar ao destino o S. vomitou. Para os pais que já passaram por isto sabem o quanto é aflitivo. Agora imaginem estar numa autoestrada e não ter maneira de parar o carro. Muito difícil mesmo. O S. desde pequeno que chora a andar de carro. Esta é a segunda vez que vomita em andamento. Estamos a chegar à conclusão que ele realmente enjoa, o que nos vai limitar nos passeios que pensávamos dar, agora que ele já está maiorzinho.

A noite foi mais complicada do que o habitual, o que é totalmente compreensível, dado ser um sítio a que não está habituado. A última vez que cá viemos foi no verão passado e era demasiado pequeno para se lembrar.

Iniciámos hoje o dia sem planos, com o único objectivo de passear e relaxar o mais possível.  Sim, passeámos. Sim, houve momentos simplesmente maravilhosos.



Mas também houve birras, choro e stress.

De um momento para outro, o S. começou a mexer em tudo, a deitar coisas para o chão, a gritar e a chorar quando o impedíamos de mexer em alguma coisa e transformou-se numa daquelas crianças que eu, antes de ser mãe, costumava olhar de lado e pensava como era possível ser tão “mal-educada”.

Como pais, tentamos ao máximo aplicar as práticas de uma disciplina positiva.

Mas hoje, no restaurante, enquanto voavam talheres e o choro punha os olhos de todos em cima de nós, enquanto tentava engolir um pedaço de bife e evitava umas mãos dentro da travessa do arroz… Hoje, por breves momentos, transformei-me naquelas mães que jurei nunca ser e compreendi esses pais que perdem a calma, que dizem coisas que não querem dizer.

Cruzei aquela linha por segundos, e se não fosse a constante calma e paciência do pai, talvez a tivesse passado para sempre.

Mais do que a indisciplina, que julgo ser uma consequência desta fase de descoberta e de testar os limites que o S. está a passar, o que realmente me assusta é a minha reacção às situações. 

Vamos ser claros, ele tem 12 meses, eu tenho 38 anos. Julgo que a pessoa que tem mais ferramentas para lidar com estes momentos sou eu. Perder a calma não deve ser admissível para um adulto. Se é fácil? Não.

Será que foi apenas um dia? Será uma fase? Como lidam com a indisciplina?

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s